Insper Jr. Consulting

O que a teoria financeira pode dizer para nós, investidores comuns?

Entenda um pouco mais sobre o mercado financeiro e investimentos

O que a teoria financeira pode dizer para nós, investidores comuns?
  • 17/04/2019 /
  • Geral

O mercado financeiro, junto com todos os seus termos e jargões, pode ser muito confuso. O que são US 10 Year Treasury? O que significa a inversão da estrutura a termo de taxa de juros e como a temperatura do pacífico pode ter uma correlação com o preço das ações brasileiras? Saber a resposta para essas e outras perguntas pode ou não transformar você em uma nova Betina, mas convenhamos, as chances de isso acontecer não são muito grandes. Por outro lado, muitos investidores esquecem o que parece ser a lição mais simples no mundo das finanças: a diversificação.

Em 1990, Harry Max Markowitz ganhou o Prêmio Nobel em Ciências Econômicas falando justamente sobre a diversidade de uma carteira de investimentos. Para o autor, se só houvesse a taxa livre de risco e ações no mundo, o ideal seria combinar sua alocação entre a taxa risk free e uma carteira diversificada de ações.  Mas como Markowitz, e outros autores que vieram depois dele, chegaram a esta conclusão, e como este insight pode nos auxiliar ainda hoje em dia em nossos investimentos?

Markowitz, junto com William F. Sharpe e outros autores, descobriram que as ações têm covariâncias diferentes entre si. Por exemplo, durante um dia de pregão, as ações da Petrobrás podem ganhar valor de mercado, enquanto as ações da Suzano perdem. Nesse caso dizemos que as ações têm covariância negativa. Em outros casos, podemos observar que as ações andam na mesma direção, mas em magnitudes diferentes. Ao combinar diversas ações em uma carteira, os movimentos específicos de cada ação (ou seja, que não dizem respeito ao mercado todo, como a quebra de uma barragem ou um escândalo de corrupção) se anulam, e o investidor é recompensado somente com o prêmio de risco do mercado. Ainda mais, Sharpe descobriu que o retorno esperado de uma ação estava atrelado somente ao risco que esta ação adicionava à carteira ótima e não ao seu risco total. Ou seja, só vale a pena, quando se estabelece uma relação de risco e retorno, investir seu capital em uma carteira diversificada. Comprar duas ou três ações avulsas fará o investidor correr um risco desproporcional ao retorno que ele pode obter.

Depois de encontrar uma carteira diversificada, que conte com ações bem diferentes entre si, então só falta decidir quanto dinheiro colocar nela. Um jovem de 21 anos provavelmente gostaria de investir todo seu dinheiro na carteira ótima. Por outro lado, uma mulher perto de seus 60 anos, certamente irá preferir uma combinação entre ações e títulos sem risco.

Esta digressão ao mundo teórico de prêmios Nobels e economistas já nos permite tirar duas conclusões importantes: para construir uma carteira que tenha rendimento condizente com seu risco, a diversificação é essencial. Além disso, pessoas diferentes tem níveis de aversão ao risco diferentes, que depende de muitos outros fatores além de só a idade.

Como vimos no começo do texto, esta lição essencial é esquecida até por investidores profissionais. Isso porque muitas vezes os agentes vão atrás de performance. Como o próprio Markowitz coloca: se o preço do ouro está subindo, muitos investidores entram no mercado para acompanhar o movimento, mas acabam perdendo dinheiro. Já alguns analistas ficam em busca de ativos mal precificados. Através de uma avaliação da empresa eles conseguiriam dizer se as ações estão bem ou mal precificadas, e operar em cima disso. A técnica de Valuation, como é chamada, funciona em muitos casos, mas não podemos esquecer que estes analistas contam com áreas de suporte muito bem estruturadas dentro de bancos e fundos de investimentos.

Portanto, para nós, permanecem as constatações anteriores. Seria prepotente achar que ações que estão sendo negociadas em volumes estonteantes todos os dias estejam mal precificadas, e que todos estes operadores não estejam enxergando isso. Somente na sexta-feira (24/03) foram realizados 107.575 negócios de ações da Petrobrás, a um volume de 104 milhões de ações. Isto significa que aproximadamente R$2.88 bilhões foram movimentados somente em papéis da Petrobrás em um só dia. Será que a Betina viu alguma coisa que 100 mil traders não viram? 

Por fim, para compor esta carteira ótima, podemos recorrer a fundos de ações bem diversificados. No Brasil, existem mais de 950 fundos de ações livres, sem contar com muitas outras modalidades de fundos de renda variável. A intenção de parte destes fundos é compor uma carteira bem diversificada, mas que contenham também algumas daquelas ações recomendadas por analistas, que vimos acima. Estes são chamados fundos ativos. Outro modo de se expor quase que somente ao risco não diversificável, é aplicando no Ibovespa, índice que inclui 64 ações listadas na bolsa paulista, mas que contém a maior parte do valor de mercado da B3.

Portanto, a mensagem que fica para nós, ao passar por mais de 70 anos de teoria econômica e financeira, é a seguinte: diversifique, e de tempos em tempos, rebalanceie seu capital de forma que os investimentos estejam adequados com sua aversão ao risco e horizonte temporal.

 

Por: Fernando Bartholomeu, consultor da 36ª gestão Insper Jr Consulting