Insper Jr. Consulting

5 Passos para melhorar as finanças da sua empresa

5 Passos para melhorar as finanças da sua empresa
  • 26/10/2018 /
  • Geral

     Para que um empreendimento possa maximizar o resultado financeiro de sua operação, é indispensável que haja esforço em gerir as finanças corporativas de forma eficiente. Uma boa gestão financeira das contas da empresa é essencial e ao mesmo tempo a principal alavanca para o impulsionamento dos ganhos com o negócio, seja por meio do aumento de receitas, redução de custos ou ambos.

 

CONHEÇA O SEU NEGÓCIO

     Para realizar um planejamento financeiro eficiente, o gestor de uma empresa deve, antes de tudo, ter pleno conhecimento dos recursos da empresa (físicos, financeiros e humanos) e de seus processos. Uma metodologia de definição e especificação dos processos interessante é o SIPOC, que ajuda o gestor a mapear os recursos necessários para os processos ocorrerem, os resultados obtidos com eles, e o pessoal envolvido. Muitas vezes a ineficiência nesses processos gera custos que prejudicam os ganhos com a operação, e por meio desse método, de fácil elaboração, podem ser feitos ajustes pontuais que já contribuirão para a saúde financeira da empresa.

     Conhecendo bem o seu negócio, o gestor deve então elaborar um planejamento financeiro para a empresa. Esse planejamento deve ter foco em duas frentes, que podem ser atacadas de forma diferente, mas que estão altamente correlacionadas em seu sucesso, sobretudo de médio e longo prazo.

 

OTIMIZAÇÃO INTERNA E PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO

     A primeira frente é a das finanças internas. Entendendo todo o panorama organizacional da empresa, o gestor poderá identificar quais os principais gaps que podem ser atacados, gerando melhor alocação de recursos financeiros e economia desses recursos também.

     Se considerarmos uma indústria de bens de consumo, por exemplo, um gestor pode chegar à conclusão de que é melhor manter sedes de distribuição regionais para seu produto, do que centralizar toda a operação. Com essa mudança, há opções de economia com frete, otimização da logística de estocagem e maior alcance de possíveis parceiros, gerando tanto aumento de renda como redução de custos.

     Com essas práticas, a alocação de capital será otimizada, assim como seu rendimento, e naturalmente deverá também surgir sobra de recursos, dadas as economias alcançadas. É nesse momento que entra a segunda frente, que basicamente contempla as decisões acerca de como o capital de giro e os lucros da empresa serão (re)investidos.

     É nessa frente que serão definidas a manutenção e a criação de projetos na empresa, e como maximizar seus ganhos. É imprescindível que haja gestão eficiente do fluxo de caixa da empresa, para que seus projetos possam ser executados.

 

GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA

     Primeiramente, é importante relembrar que gestão não é algo simples. É altamente recomendado que haja o suporte de planilhas integradas ou softwares para compilar os dados e entregar de forma rápida os indicadores importantes ao gestor.

     A importância do fluxo de caixa de uma empresa e do seu entendimento por parte do gestor se baseia nas decisões e metas da empresa. Sabendo a situação financeira atual e podendo prever onde a empresa estará daqui um determinado tempo e com quantos recursos ela poderá contar é fundamental. Somente assim será possível tomar decisões estratégicas em relação à operação, como a identificação de necessidade de tomar empréstimos, de renegociação de fornecedores, entre outros.

Para controlá-lo, é necessário estabelecer alguns pilares que norteiam a gestão:

     1.Defina prazos:

     Para analisar o fluxo de caixa e efetuar o controle eficiente, é necessário definir um prazo que será controlado, para que possam ser estabelecidos momentos, geralmente ao final desses prazos, onde serão avaliados os resultados consolidados do período e também o impacto das decisões anteriormente tomadas. Normalmente, as empresas analisam o fluxo de caixa, assim como outras demonstrações financeiras, num período de doze meses, podendo assim divulgar seus resultados de forma anual. Essa padronização é interessante para o mercado, na divulgação da empresa a possíveis parceiros e investidores.

     2.Registre e controle todas as movimentações:

     Para entender exatamente onde a empresa está e onde estará no futuro, é imprescindível que todas as obrigações da empresa sejam registradas, e registradas no ato. Seja uma obrigação de pagamento de um fornecedor, para daqui a 30 dias, ou um direito de recebimento de um cliente, parcelado em 6 vezes, todos devem ser registrados para controle. E a importância de registrar as movimentações no ato garante que não haja futuras confusões com os registros, e também confere ao gestor capacidade de analisar o fluxo de caixa em tempo real, a qualquer momento.

     3.Projete cenários diferentes:

     Para poder estipular metas e definir onde o gestor quer levar a empresa, é necessário entender o cenário futuro. Infelizmente, gestor nenhum possui bola de cristal para ver exatamente como estará a política, a economia e a sociedade daqui um tempo, então fazer previsões de cenários possíveis ajuda o gestor a saber como proceder, no futuro, caso o ambiente dele esteja diferente do imaginado. O ideal é que sejam feitos, pelo menos, três planejamentos de cenário futuro: pessimista, realista/esperado e otimista. Com isso, o gestor deve elencar os principais indicadores e as principais contas da empresa, e alinhá-los em futuros cenários, como crises financeiras, aumento de demanda, entrada de novos concorrentes ou a eleição de um novo presidente.

     4.Pense a longo prazo:

     O gestor deve ter visão de longo prazo pois dessa forma a empresa poderá adotar uma estratégia sustentável, estando preparada para o futuro do mercado. Para isso, ele deve entender que as decisões imediatistas podem ser boas num primeiro momento, mas ao analisá-las pensando no futuro, vê-se que muitas vezes não fazem sentido algum. Isso se dá porque o sucesso, seja de um projeto ou de uma empresa, não se dá da noite para o dia. É preciso ter paciência, entendendo que passar por etapas complicadas é necessário para atingir o sucesso de longo prazo. Uma metodologia interessante de planejamento de longo prazo é o PDCA, utilizado por grandes empresas e consultorias para elaborar planos de ação, e manter um controle corretivo do mesmo no dia-a-dia.

     5.Vise a expansão:

     Por fim, mas não menos importante, não é só porque uma empresa está dando lucro que o gestor deve se acomodar. Os grandes cases de sucesso mostram que é fundamental manter o desejo constante em se reinventar e melhorar a empresa, buscando otimizar seus processos e aproveitar as oportunidades de crescimento. Com essa visão, será possível levar seu negócio mais longe. Para efetuar projetos de expansão, nem sempre o gestor terá o olhar aguçado e o tempo disponível para estudar afundo as melhores oportunidades de mercado, então a contratação de uma empresa de consultoria é uma opção interessante, prevenindo o gestor de perder grandes oportunidades de levar o negócio mais longe.

 

     Essas são algumas dicas que nós, da Insper Jr Consulting, acreditamos que sejam importantes para um empreendimento que quer entrar na trilha do crescimento. O planejamento bem definido, em conjunto com a vontade de aprender e ir mais longe são essências para construir um caminho de sucesso.